“Testada e aprovada” poderia muito bem ser o título do texto. Em menos de dois anos, Mayara Prado, 25, disputou o “The Voice”, foi vencedora do “Mulheres que Brilham” e se tornou uma das princpais apostas sertanejas da Sony Music para 2015.

Se as novas gerações de artistas sertanejos derrubaram diversas barreiras, uma das principais delas, sem dúvida, foi a do preconceito. Seja contra a mistura com outros estilos, seja contra a… mulher.

O espaço antes quase exclusivo de duplas masculinas se abriu, e com o cenário atual bem mais abrangente, vozes femininas passaram a conquistar público e a batalhar de igual pra igual em um mercado tão concorrido.

É nesse momento que surgem artistas como a Mayara Prado. Vencedora da 3a edição do concurso “Mulheres que brilham”, realizado pela BOMBRIL e apresentado no programa Raul Gil, ela despertou o interesse da Sony Music, que já começa um trabalho forte de divulgação ainda em 2014. Em 2012, seu talento já havia rendido destaque ao ser uma das aprovadas no “The Voice”.

O primeiro trabalho de sua carreira acabou de sair do forno. Será um EP com 7 canções, sendo seis inéditas e um remix. Duas delas, composições da própria Mayara. A produção ficou por conta de Laércio da Costa, figura mais do que conhecida pelas duplas sertanejas.

A música de trabalho escolhida, lançada junto a um clipe no dia 18 de novembro, chama-se “Linguagem dos Beijos”, e conta com a participação de Marcos e Belutti, dupla responsável pela música mais tocada do ano, “Domingo de Manhã”.

A canção segue uma linha mais pop-romântica do sertanejo, que combina com a dupla convidada e que faz um dos principais gostos da cantora, principalmente pela temática: “A música romântica é meu maior filão. Gosto do estilo como um todo, desde a música sertaneja de raiz, que amo, até a atual, que domina o mercado”.

O EP ainda traz uma outra participação: a do grupo “Turma do Pagode”.

Mayara não canta música sertaneja por acaso. Nasceu em Goiânia, um dos principais berços do gênero, e se mudou com 10 anos de idade para o Tocantins, outro estado também de forte influência sertaneja. Foi por lá que começou a cantar, aos 13 anos.

O tempero que a torna uma artista, de fato, interessante, vem ainda mais de cima do mapa: por conta dos estudos, Mayara foi morar em São Luiz, capital do Maranhão, onde passou a tocar na noite e a formar seus primeiros públicos. Dos bares, passando por festas maiores, até os grandes rodeios, Mayara cumpriu todos estágios que se cobra e se recomenda a um artista que deseja algo maior. Sempre acompanhada de sua voz forte, sua principal característica.

Da mistura regional, somada a uma grande influência da música cristã na adolescência, saiu o estilo de uma menina de 25 anos que pretende gravar seu nome na história da música mais popular do país.